Verbo de ligação


minha fada
09/05/2015, 09:57
Filed under: Data, Fotografia, Prosa | Tags: , ,

Mamãe é fada

bonita e boa

que me protege

e abençoa.

Suave névoa me envolve hoje: estou permeada pelo sonho que tive pela manhã.

Era com a minha fada.

Eu estava deitada de bruços, na cama. Acordei quando ela entrou no quarto. Afagou-me as costas, os cabelos, me beijou. Como quando eu era criança.

De olhos fechados, resolvi fingir que continuava dormindo, para espreitar melhor seu carinho. Tão bom.

Puxou a manta, me cobriu. Dentro de mim pulsou a ternura. Mesmo grande, eu ainda era a sua filhinha.

É nessa doce névoa que estou envolta hoje.

Onides Bonaccorsi Queiroz

Ágata (Foto: Adriana Bonaccorsi Queiroz)

Ágata (Foto: Adriana Bonaccorsi Queiroz)



ágata
13/02/2015, 16:29
Filed under: Fotografia, Prosa | Tags: ,

Para além de todas as humanidades de minha mãe, existe uma paz. Posso senti-la. É um estado de devoção silenciosa ao essencial.

Cultiva conexão especial com a natureza. Observa o céu, o clima, os pássaros. E acha graça em sua cachorra estridente.

Foi ela quem me ensinou a perceber a serenidade e a nobreza que existem nos templos. A apreciá-las. O que considero uma grande herança. Porque aprendi que há remédio para esta ansiedade.

Ah, minha mãe tem um mistério. Atraente como o som de seu nome: Ágata. Como a cor de seus olhos castanho-esverdeados.

Ela não segue moda. Antes presta muita atenção no que quer e no que não quer. E tem toda a convicção de que não precisa de telefone celular. Se vital mesmo é seu canteiro de flores. Ali, matéria, espírito e arte se encontram.

Desenha lindamente, sua mão tem liberdade sobre o papel. E traçou minhas feições muito antes de me gestar. Estará o filho desde sempre gravado no coração da mãe?

A voz de minha mãe é bela, melodiosa. E guarda o charme das inflexões sonoras da língua italiana.

Ainda se lembra do que ouvia na infância. Me conta. Canta. Chora de emoção. Depois volta para o presente e, suspirando, fala da voz de Caetano: “Parece que faz carinho nos meus ouvidos”.

Nossos diálogos são cada vez mais simples, francos e significativos. Às vezes do assunto mais prosaico surge a gema mais preciosa. É esse o tom com que ela, tão diferente, única e familiar, me ensina a ser eu.

Onides Bonaccorsi Queiroz

(Foto: Adriana Bonaccorsi Queiroz)

(Foto: Adriana Bonaccorsi Queiroz)