Verbo de ligação


lições que o acre dá
Casa do líder ambientalista Chico Mendes inundada, em Xapuri, Acre (Foto: Aline Nascimento)

Casa do líder ambientalista Chico Mendes inundada, em Xapuri, Acre (Foto: Aline Nascimento)

Moradores das cabeceiras dos rios, quando a chuva é muita, alguns povos indígenas do Acre já avisam a defesa civil das cidades mais próximas: se preparem que aí vai água!

Nos últimos dias, foi assim em Assis Brasil, na fronteira com o Peru. Brasileia, por sua vez, teve 90% de sua área urbana alagada – no-ven-ta-por-cen-to! Agora que o Rio Acre baixa ali, o cenário é desolador. A população está arrasada. E o governo, inegavelmente, faz esforço hercúleo para minimizar as perdas e confortar as vítimas.

Ontem, enquanto recebia imagens recém-enviadas pelos repórteres da Agência de Notícias do Acre que estão no interior, vi uma colega de trabalho, editora, cair em prantos. “É muito triste!”, dizia. Era mesmo. Lama demais, que a água destes rios é barrenta, telhados flutuando, móveis perdidos, casas destruídas, gente pobre e gente remediada sem saber por onde recomeçar a vida.

De Xapuri, duas fotos me chamaram a atenção – que o Acre tem fotógrafos excepcionais! Uma é de um monumento tradicional da cidade, a imagem de São Sebastião, que se encontra sobre um pedestal de cerca de um metro de altura: tinha a água subindo pelas pernas. Depois de martirizado pelas flechas, o santo parecia estar sendo açoitado também pela água!

A outra, ironicamente, faz referência a uma figura histórica do ambientalismo, que o Acre projetou para o mundo. Ilustra a casa de Chico Mendes inundada quase até o telhado. É, Chico, ainda não resolvemos essa parada!

Rio Acre abaixo, a água já desalojou, até este último dia de fevereiro, mais de mil pessoas em Rio Branco, acolhidas nos abrigos oficiais. E, em muitos bairros onde não se acerca pela superfície do solo, sorrateira, invade as casas pelos esgotos.

A imprensa nacional, como sempre tem ocorrido, demora a se dar conta do que está rolando neste longínquo estado: muita água!

Mas esta gente de raça segue em frente. Porque aqui existe, “no balde”, como diz a expressão regional,uma outra coisa que está faltando no mundo “desenvolvido”. Esperança.

Se há uma coisa que vibra neste lugar é a solidariedade. É lição para o Brasil e o mundo! A Defesa Nacional já elogiou, em outras oportunidades, a organização e o empenho do governo e sociedade civil no enfrentamento às cheias.

Feliz testemunha desse traço cultural louvável, paranaense que sou, aqui aprendo muito. Fico deslumbrada com a humanidade que os acreanos conseguem apresentar no cotidiano e sobretudo nas horas de dificuldade.

Para ilustrar e encerrar, menciono Rebeca, que é a bela jovem da foto abaixo, com nariz de palhaço e bebê ao colo. Trata-se de uma cidadã voluntária que está trabalhando com recreação infantil no abrigo para as vítimas da cheia na capital. Querem saber? Como ela, há centenas, milhares aqui!

Onides Bonaccorsi Queiroz

A voluntária Rebeca e David Luís (Foto: Luciano Pontes)

A voluntária Rebeca e David Luís (Foto: Luciano Pontes)

Anúncios

6 Comentários so far
Deixe um comentário

Lindíssimo! Envolvente e animador! Gratidão por assim ser e compartilhar! Parabéns! Bjs e meu carinho.

Comentário por Paula Torres

Saudades, Paulinha! Beijos.

Comentário por Onides Bonaccorsi Queiroz

Lindo texto, que contrasta com a situação atual do nosso Estado. Mesmo apenas alguns municípios sofrendo com essa cheia histórica todos os acreanos sofrem. E mais triste ainda é o fato da imprensa nacional não dar o devido destaque ao que está acontecendo por aqui. É como se realmente não
existíssimos. Mas a solidariedade do
meu povo é maior que tudo isso e sim, temos esperança é no baaaalde. Até o
momento, o rio Acre está com 18,11 m (sobe 1 cm a cada hora) e Rio Branco
está um verdadeiro caos. São vários
bairros debaixo d’água, muitas famílias
sem previsão de voltar para as suas
casas. Eu mesmo tenho amigos e
parentes que estão passando por isso.
Mas se Deus quiser, o rio irá baixar com
a mesma velocidade que está subindo. 🙂
Obrigada pelo respeito nesse momento difícil. Sintam-se abraçados por todos nós, acreanos do pé rachado. Bj grande!

Comentário por Sany de Paula

😉

Comentário por Onides Bonaccorsi Queiroz

Republicou isso em Mamapresse comentado:
Lições que o Acre dá!
É Chico mendes, aida não resolveram as coisas!

Comentário por mamapress

😦

Comentário por Onides Bonaccorsi Queiroz




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: