Verbo de ligação


pequenina
09/09/2013, 13:48
Filed under: Imagem, Prosa

Houve um dia em minha vida em que tive a satisfação de conhecer um quadro extraordinário: é “O beijo”, pintado pelo austríaco Gustav Klimt entre 1907 e 1908.

Eu era jovem e estava apaixonada, emoção que propiciou a compreensão que se seguiria. Olhei para a tela e a imagem calou em minha alma como um manto macio, suave, perfumado. Muito íntimo. E de uma familiaridade como se há muito eu tivesse esquecido algo importante e naquele momento começasse a recobrar essa parte da minha identidade. Uma parte muito querida.

Na tela, Klimt se auto-retrata abraçando e beijando sua amada. E é, para mim, um dos encontros mais comoventes do masculino e do feminino nas artes.

As cores são maravilhosas, como sempre são as cores de Klimt. E a luminosidade. E seu traço é único, o que denota um ser humano ímpar, que enfrentou os riscos de se descobrir e de ser ele mesmo – acontecimento raro. Esse tipo de coragem faz dele um homem desejável, porque se torna potencialmente surpreendente.

Assim, fiquei um pouco apaixonada também por Klimt. E, na longa apreciação que fiz de sua tela, algo em especial foi, dia a dia, conquistando meu coração no entendimento daquele momento: o modo como Klimt tocava sua amada e o modo como ela se apresentava a ele. O artista, que era um homem grande, longe de usar sua proporção corpórea como arma, fazia dela um elemento protetor para sua eleita. E, gentilmente curvado sobre a mulher, punha-se numa atitude de… Devoção. Enfim, era de tal maneira honroso o contato que dignificava o fato de ela estar de joelhos perante ele, completamente vulnerável e entregue, porque absolutamente confiante. Os dois protagonizavam uma encantadora cena de reverência mútua.

Nunca mais a esqueci e penso que nunca tenha deixado de persegui-la. E embora não represente uma conquista fácil, esse registro tornou-se uma referência fundamental entre os meus valores.

Para mim está claro que existem momentos na vida de uma mulher em que ela precisa ficar pequena. Precisa ter consciência da sua fragilidade e do seu desejo de ser cuidada. Fisicamente envolvida, amparada. Por um masculino moralmente forte, bondoso, vivo, generoso, respeitoso, carinhoso.

Em vez de imobilizá-la, o desenvolvimento dessa capacidade confere autoestima a uma mulher, que se sente mais fortalecida para ir em busca de suas realizações.

Na cama, então, essa possibilidade é uma bênção. É então que a mulher pode perceber quão incompreendida e maravilhosa é a ideia de ser “possuída”. A vivência dessa sensação de apequenamento e de acolhimento mútuo é fundamental para construir um vínculo sexual de qualidade.

Porque, quanto mais humildes e verdadeiros pudermos ser, mais nos entregaremos um ao outro. E, quanto mais nos entregarmos, mais gozaremos. Mais nos vivificaremos.

Quanto menores e mais amorosos consentirmos ser, mais poderosos seremos, homens e mulheres.

Onides Bonaccorsi Queiroz

"O Beijo" - Gustav Klimt, óleo e folha de ouro sobre tela (1907-1908), do acervo da Galeria Belvedere, em Viena

“O Beijo”, de Gustav Klimt. Óleo e folha de ouro sobre tela (1907-1908), do acervo da Galeria Belvedere, em Viena

Anúncios

5 Comentários so far
Deixe um comentário

Lindo, Onides querida! Lindo!

Comentário por Lize

Olá querida, Parabéns!!saudades..quando vem para Sampa??bjs Eliane Moraes ,

Comentário por Eliane Moraes

Alegria para alma esse seu texto. Delícia lê-lo… Parabéns!!

Comentário por Adriana Queiroz

Lindo texto, de força e luz. Curti muito Klimt em minha juventude, quando comecei a caminhar no mundo. Agora você me fez entender o por que.

Comentário por Keilah

Onides, a sua descrição sobre esse sentimento é linda. Sua sensibilidade nos permite enxergar essa imagem com melhores olhos . Isso é muito bom.
Manoel

Comentário por Blog do Óbvio - Manoel




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: