Verbo de ligação


mulheres do acre – ruth de souza e silva
21/03/2012, 17:17
Filed under: Artigo, Imagem

Ruth Silva canta no Huerb (Foto: Angela Peres)

Lá do fim do corredor, vem chegando uma voz melodiosa, com certa carga dramática, mas suave, entoando canções. Uma voz de mulher. Quem não conhece, estranha, inquieta-se, pergunta: “Como assim, uma cantora no hospital?”. Uma cantora no hospital.

É a Ruthinha. No Huerb (Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco) há 20 anos, Ruth de Souza e Silva já trabalhou na UTI, no Centro Cirúrgico e hoje, na Humanização, canta para alegrar o coração dos usuários da instituição e também dos colegas.

Alguém pediu para ela cantar? Não. Ela canta porque a música transborda dentro de si. Junto, derrama entusiasmo, carinho e palavras de conforto para quem está fragilizado pela doença, para quem aguarda uma consulta ou acompanha um familiar internado.

Ruth não esquece que atrás de cada rosto há  uma história. E se aquela história levou o indivíduo até o hospital, é certo que ele carrega aflições. “A gente tem que entender o ser humano, acolhê-lo”, diz. Com naturalidade, ela vive, observa e declara, do alto dos seus 59 anos: “A natureza e o tempo me ensinam”.

O talento artístico apontou cedo, antes dos dez anos. Na escola, apresentava-se cantando e representando. De modo que seu sonho era ser cantora profissional, mas, na época de sua mocidade, o preconceito contra os artistas pesou mais e o pai a impediu de realizá-lo.

Não deteve o seu cantar, entretanto. Ruth já se apresentou no show Boca de Mulher, reeditado há mais de 20 anos em Rio Branco, com frequência é convidada a dar mostras de seu talento, especialmente em igrejas e, em outubro passado, fez uma exibição no Sarau do Servidor, no Teatro Plácido de Castro, na capital acriana.

No ambiente de trabalho, além de canções e hinos religiosos, declama poemas e faz orações. O Same (Serviço de Arquivo Médico Estatístico) é um dos setores do Huerb que Ruth visita com regularidade. Sônia Almeida, gerente, declara: “Ruth transmite paz, vem pelos corredores cantando, sempre alegre. Sua música faz bem para todos.”

Ao falar sobre a experiência de cantar, fica visível a satisfação que toma conta dela: “Quando canto, sinto uma paz que renova todas as minhas expectativas, não dá para lembrar-se de problemas, falta de dinheiro, doença… Cantar me fortalece, dá ânimo, uma vida feliz.”

E, assim, Ruth segue contente, fazendo o que acha bom e correto.

No seu ofício, pode despertar o entendimento de que se a formiga da fábula de Esopo fosse mais sábia, em vez de pensar apenas em executar seu trabalho, de modo previsível e enfadonho, agradeceria à gentileza da cigarra cantante. Afinal, com sua arte, ela é capaz de transfigurar o cotidiano de quem tem olhos para ver e ouvidos para ouvir.

Onides Bonaccorsi Queiroz

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: