Verbo de ligação


mais esta
23/11/2011, 18:44
Filed under: Prosa

Este o meu piano. Amo ouvir o toque de suas teclas, rápido, ritmado, tentando acompanhar o andamento dos meus processos internos. Então me sinto viva e contente.

Amo o impulso tão elétrico quanto apaixonado que comanda meus músculos em busca da expressão, deixar que se manifeste o sentimento, a percepção: tanto estimo esta permissão que – duras penas – aprendo a me conceder. Aos poucos, perco a vergonha de ser e me sinto livre como os inocentes. Pois, se sou simples e verdadeira, nada tenho a temer.

Enquanto construo, encaixando sensações, desejos e impressões no jogo da linguagem, dialogo comigo. Desvendo, aprendo. Também gosto de rir, do mundo e de mim – ainda esta máscara de séria quando sei que sou mesmo esquisita e engraçada. Então, ao me deparar com o espelho da comédia humana, o som melódico deste teclado é interrompido pela gargalhada incidental.

Outras vezes, minha música vai se condensando e se torna lenta e profunda. Como é bom ser apanhada pela emoção e escrever com os olhos banhados de lágrimas quentes, o coração cheio de afetos caudalosos: amor, dor, saudade, beleza.

É que a alma é um rio. Tudo o que posso e devo e quero e faço é mergulhar em suas águas misteriosas e amáveis. Seu leito é a pauta. Sua corrente, a melodia. Em cada gota, uma nota. E eu estou aqui, a dedilhar esta composição.

Onides Bonaccorsi Queiroz

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: