Verbo de ligação


O perfume da minha professora
15/10/2009, 15:53
Filed under: Carta, Poesia | Tags:

Minha querida Cláudia,

em memória de Cláudia Boff Aramayo Cruz,

a “dona Cláudia”.

O timbre da tua voz está aqui,

ainda dentro minha escuta.

Que profunda tua marca de bem,

até hoje gravada em meu afeto.

Chegaste tão perto de nossos corações!

Eras tão íntima,

tão franca,

tão vigorosa,

tão calorosa.

Tua força e apoio davam chão

à nossa meninice sedenta.

Nobre educadora,

tão atenta aos encantos e perigos do mundo,

trazias história e geografia

como alavancas do sonhar e do despertar.

E os ideais elevados fervilhavam dentro de nós.

Mas não somente séria:

tuas tiradas de humor nos faziam gargalhar,

temperando de irreverência o convívio.

Descobríamo-nos humanos:

esquisitos, engraçados e maravilhosos,

sobretudo aceitos. Que cabíamos todos em teu coração.

De repente vinhas com a ótima:

“Hoje o dia está lindo, a aula será lá fora”.

Enlouquecíamos de euforia!

Mas nos calávamos para te ouvir,

sempre com algo interessante para contar.

Cláudia nossa, simples e luminosa,

como não te amar?

Algo fizemos de bom para merecer,

ainda que brevemente,

caminhar ao lado de uma fada.

Mas naquela manhã,

ficou tão vazio o nosso espaço

sem as cores vibrantes da tua presença.

Ficamos tão tristes.

Choramos tanto, sem consolo,

resistíamos abraçados.

Guardei tua ausência em lugar tão oculto;

como aceitar a perda de uma joia rara?

Já sou mais velha do que tu, quando partiste,

e ainda me pareces tão maior do que eu!

A dor emerge,

e as lágrimas irrompem.

Chorando, renovo-me.

Mais que a saudade,

Dói-me o amor, tanta a beleza do teu testemunho.

Então me deixa te fazer uma homenagem,

singela, que sou criança:

grata, flor de amor,

pelo perfume que espalhaste entre nós.

Grata pela lição de ternura e alegria.

Grata porque em meu coração professaste a fé na vida –

cumpriste teu dever sagrado.

Este buquê de gratidão que ora te oferto

os anjos haverão de entregá-lo;

aceita-o, por favor.

Haverei de reconhecê-lo um dia, mestra querida,

entre tantas outras flores, tantas frutas,

sobre tua mesa.

Tua aluna,

Onides.

(Imagem: internet)

(Imagem: internet)

Anúncios

Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: